Anúncio 680 x 110 px

Defesa Civil pede que moradores de Paulínia economizem água



A Secretaria de Defesa Civil de Paulínia alerta à população sobre o desperdício de água e o uso abusivo que algumas pessoas vêm fazendo. Na cidade ainda não faltou água, mas de acordo com informações da Sabesp, se não chover, esse quadro deverá mudar.

Hoje (quinta-feira) o secretário da pasta, Paulo Mota, e o vereador Sandro Caprino (PRB) visitaram a estação de captação de água, no Rio Jaguari, e conversaram com técnicos que garantiram que se a população usar racionalmente a água e de forma consciente as torneira não irão secar.

Isso só será possível graças a uma obra feita pela Sabesp que permitiu um maior acumulo de água na captação e que faz com que o nível do rio naquele ponto fique alto.

Sigam Movimento Paulínia no Twitter: @MPaulinia

“Nossa preocupação agora é em alertar as pessoas para promover o uso consciente. Não podemos desperdiçar este líquido tão precioso para não sofrermos como vem sofrendo a população de cidades vizinhas e da grande São Paulo”, disse Mota.

Preocupação

 Já o vereador Sandro Caprino está preocupado com uma informação que foi divulgada na semana passada e que pode afetar seriamente o abastecimento de água em Paulínia, Hortolândia, Cosmópolis, Limeira e outras cidades que dependem da água do Rio Jaguari. O governo do Estado deverá repassar para Campinas R$ 124 milhões para financiar a construção de uma adutora que irá bombear a água do Rio Jaguari para o Rio Atibaia e garantir o abastecimento de Campinas nos períodos de crise, como o de agora.

No acordo, a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A. (Sanasa) fará a obra. A construção deverá levar de nove meses a um ano, e contará com cerca de 20 quilômetros de tubulação. Os estudos sobre a adutora foram feitos pela Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado.

Caprino acredita que a obra será um desastre principalmente para Paulínia e preocupado com o futuro da água da cidade foi até a Sabesp acompanhado do Secretário de Defesa Civil, Paulo Mota. “Não podemos aceitar que isso seja feito com nossa população. Se não houve planejamento por parte dos responsáveis a culpa não é nossa. Fomos em todos os locais de captação de Paulínia e vimos que na nossa cidade está tudo bem. Vamos lutar e fazer o possível para impedir esse bombeamento da nossa água para Campinas”, disse Caprino.

Fotos - Fabiano Moreira
Legenda - Sandro Caprino e Paulo Mota no barramento e na estação de captação de água do rio Jaguari.



Compartilhar Google Plus

Autor Roger Dance

Sou criativo, polêmico, autodidata por natureza e político por opção. Meus ideais de uma sociedade justa e igualitária estão no sangue. Sejam bem vindos a minha vida e ao mundo da informação dos bloggers.