Anúncio 680 x 110 px

Temer diz que PMDB quer ter candidato à Presidência em 2018

O vice-presidente da República Michel Temer e parlamentares do PMDB e a senadora Ana Amélia (PP-RS) (Foto: Lucas Salomão/G1)


Vice-presidente da República falou com jornalistas após evento do partido. PMDB é o maior aliado do PT na base, mas tem demonstrado insatisfação.

O vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, afirmou nesta quarta-feira (15) que seu partido quer ter candidato à Presidência na eleição de 2018. Articulador político do Palácio do Planalto, Temer deu a declaração, em um evento da sigla, após ser questionado por um jornalista sobre se a aliança com o PT terminará em 2018.

Outros caciques do PMDB, como o ex-presidente José Sarney, e os presidentes do Senado, Renan Calheiros (AL), e da Câmara, Eduardo Cunha(RJ), estavam ao lado do vice-presidente no momento em que ele manifestou o interesse de o PMDB encabeçar uma chapa presidencial para a sucessão de Dilma Rousseff.
Sigam Movimento Paulínia no Twitter: @MPaulinia


"Nós estamos abertos para novas alianças, com todos os partidos. Apenas o que está sendo estabelecido é que o PMDB quer ser, digamos assim, cabeça de chapa em 2018", ressaltou Temer.
Logo depois, o vice-presidente foi indagado por repórteres sobre se o "caminho" era o PMDB ter candidato próprio na próxima eleição presidencial. "Seguramente, é uma postulação de todo o PMDB", enfatizou.

O PMDB é o principal sócio do PT no governo federal. A aliança entre os dois partidos começou ainda na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No entanto, nos últimos meses, alguns parlamentares e líderes peemedebistas têm manifestado publicamente insatisfação com a gestão Dilma.

Ao final do evento do PMDB, o presidente do Senado reforçou o discurso de Temer, dizendo que sua sigla terá um "projeto de poder" em 2018 e que lançará um "candidato competitivo" para disputar a Presidência da República.

"O PMDB tem uma aliança com o PT, uma aliança estratégica, circunstancial, porque ela deveria acontecer em torno de um programa, apenas de um programa, mas o PMDB, desde logo, está deixando claro, absolutamente claro, que vai ter um projeto de poder que vai ter um candidato competitivo a presidente da República", destacou Renan Calheiros.

Eduardo Cunha

Antes de falar com jornalistas, Temer discursou no lançamento da plataforma digital. Ele afirmou que o partido "teve e tem" grandes lideranças e que o desejo da legenda é "marcar cada vez mais presença na vida pública" do país.

Eduardo Cunha também discursou no evento desta quarta do PMDB. Na ocasião, ele defendeu, por mais de uma vez, que a tendência é o partido lançar candidato próprio na corrida presidencial. O presidente da Câmara já afirmou em diversas ocasiões que é preciso repensar a aliança com o PT.
"Em 2018, temos o direito de disputar com o eleitor as nossas ideias [...] Time que não joga não tem torcida. O PMDB tem que se posicionar no espaço político, tem que recuperar seu protagonismo", disse Cunha.

"Nós estamos nesse momento, um momento político delicado, o PMDB faz parte de uma aliança, mas o PMDB sabe que, em 2018, quer buscar o seu caminho, que não é com essa aliança", complementou o deputado.

Fonte: Lucas Salomão | G1, em Brasília




Compartilhar Google Plus

Autor Roger Dance

Sou criativo, polêmico, autodidata por natureza e político por opção. Meus ideais de uma sociedade justa e igualitária estão no sangue. Sejam bem vindos a minha vida e ao mundo da informação dos bloggers.