Anúncio 680 x 110 px

Festival da Cerveja é alvo de denúncia


O vereador de Campinas Artur Orsi (PSDB) fez uma representação ontem no MPE (Ministério Público Estadual) contra o Festival Cultural da Cerveja, que será realizado pela Prefeitura de Campinas em parceria com uma empresa privada no sábado e domingo, na Lagoa do Taquaral, a um custo estimado de R$ 42 mil. Na opinião do vereador, o evento é ilegal e estimula o consumo de bebidas alcoólicas por crianças e adolescentes.
Sigam Portal MP no Twitter: @MPaulinia
Entre as argumentações do legislador para justificar a possível irregularidade do evento, está a Lei Municipal nº 10.448, de 24 de março de 2.000. O texto autoriza a prefeitura a instalar máquinas automáticas para venda de alimentos, refrigerantes e sucos em prédios públicos, incluindo a Lagoa do Taquaral. Porém, a lei proíbe a venda de bebidas alcoólicas.

“Existe uma legislação na cidade que proíbe a propaganda e venda de bebidas em espaços públicos. Além disso, a Lagoa do Taquaral é o espaço público mais frequentado por crianças e adolescentes. Permitir um evento desse em um ambiente público atenta contra o princípio da saúde das crianças e dos adolescentes”, afirmou Orsi.

No dia 22 de setembro, foi publicada no DOM (Diário Oficial do Município de Campinas) a ata da 21ª reunião ordinária do Conselho Diretor do Fatur (Fundo de Apoio ao Turismo). De acordo com o texto, o Festival da Cerveja (que antes estava identificado como Beer Fest) é um “evento com foco para familiares, crianças e visitantes”.

O festival é realizado em conjunto entre a prefeitura e a Playcorp (empresa de marketing, entretenimento e organização de eventos), com apoio da Ambev (Companhia de Bebidas das Américas).

“Qual é o interesse público que norteia a realização do evento, com o intuito de apenas uma empresa do setor ser beneficiada? Não nos parece uma medida que venha a atender ou justificar as despesas e gastos de verba pública”, criticou Orsi.

Quando anunciou a realização do evento, no dia 7, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), defendeu que o evento era um “instrumento para promoção do consumo responsável, do conhecimento e da convivência”. Ele também apontou importância econômica. “(Estou) feliz em lançar este importante evento, no momento em que as prefeituras precisam buscar as parcerias público-privadas para fugir das dificuldades econômicas e promover oportunidades. É função do poder público criar alternativas para movimentar a economia, neste momento de crise”, afirmou.
A prefeitura pediu que os questionamentos fossem enviados por e-mail, mas não respondeu até o fechamento da edição. A reportagem entrou em contato com a In Press Porter Novelli, que faz a assessoria de imprensa da Ambev, mas foi informada que questões empresariais deveriam ser tratadas com a Máquina da Notícia, outra agência que também cuida da assessoria da Ambev. As ligações no telefone fixo do local não eram atendidas ontem à noite. Já as ligações no telefone fixo da Playcorp não eram atendidas no final da tarde de ontem.

Evento será gratuito e contará até com pequeno museu da bebida

O festival vai ocorrer entre 12h e 20h, no portão 5 da Lagoa do Taquaral. Ao todo, serão oito áreas temáticas, onde os visitantes poderão degustar diferentes tipos de cerveja, participar de workshops, palestras, orientação nutricional e ver a exposição de um pequeno museu com a história da bebida. A entrada é gratuita.

Além disso, a Playcorp fez uma parceria com uma empresa de táxi, oferecendo descontos de 50% (com limite de R$ 15) para quem quiser evitar beber e dirigir. De acordo com release da prefeitura, as bebidas não serão servidas para menores e todas as pessoas maiores de idade serão identificadas por uma pulseira.

Fonte: Jornal Tododia



Compartilhar Google Plus

Autor Roger Dance

Sou criativo, polêmico, autodidata por natureza e político por opção. Meus ideais de uma sociedade justa e igualitária estão no sangue. Sejam bem vindos a minha vida e ao mundo da informação dos bloggers.