Anúncio 680 x 110 px

#UNIÃO - Vitórias e Lutas do SERVIDOR PÚBLICO e SINDICATO


Quantas lutas se passaram e quantas outras estão ainda por vir. O sentimento de união e força, embutido em uma categoria de trabalhadores, de tamanha importância para o andamento dessa grande máquina chamada Paulínia, deve não somente hoje como no futuro estar sempre presente.

Ai vocês devem estar se perguntando ?! Porque comecei meu texto justamente falando sobre isso. E o que isso tem haver com o funcionalismo público. Nos últimos anos, mais especificamente a partir de 2011 para cá, quando deflagramos a maior greve do funcionalismo na história dos seus 51 anos de emancipação da cidade. Onde pudemos demonstrar toda força e união que uma classe trabalhadora é capaz de mobilizar.
Sigam Portal MP no Twitter: @MPaulinia
Simplesmente foi montado na época uma engrenagem truculenta e ardilosa do então governo que ignorou todas as legitimas reivindicações do funcionalismo público. E passou por cima do servidor com um trator de arrogância. Tratando a todos como meros números e não seres humanos detentores de inteligência e dignos de respeito.

Pois bem, hoje, cinco anos depois nos encontramos em outra batalha justamente polarizada pelos mesmos personagens. De um lado o servidor público e sua representação sindical que ganhou recentemente uma vitória na reparação dos danos sofridos em 2011 durante a fatídica greve. Quando o então atual governo Pavan descontou dois meses de nossos salários sem que houvesse nenhum tipo de determinação jurídica para o mesmo. Arbitrariamente impôs uma situação de fome e miséria a mais de 1.000 trabalhadores, pais e mães de família. Dessa forma a justiça nesse momento de 2015 tenta reparar o grave erro, classifico até mesmo como crueldade, cometida pela administração do então prefeito da época que sabemos ser o mesmo de hoje.

A Ministra Rosa Weber pede o ressarcimento dos salários descontados e em uníssono com o TJ-SP pede para que o pagamento seja feito imediatamente.

Mas o que muitos não sabem é que de lá para cá fui intensivando cada vez mais a luta e montado o enorme quebra cabeças. Quando muitas das situações ficaram claras e bem definidas. Pude ver objetivamente que houve uma articulação sórdida de bastidores para coibir definitivamente um sentimento nobre e forte que havia nascido durante aquela greve de 2011. Um sentimento de união e de família, que percorria o coração de cada servidor público que lutava por dias melhores.

Qualquer patrão ou político mal intencionado tem medo disso. Ainda mais quando são filhos da ditadura, que foram criados como se o mundo tivesse que favorecer a eles. E o povo tendo que estar sempre subjugado.

Quando viram a força e garra do qual o funcionalismo havia se imbuído e que a categoria tinha entendido que juntos tinham total condições de lutar e reivindicar seus direitos. A determinação da administração e seus asseclas era derrubar essa força a qualquer custo. Começou aí as articulações para tal empreitada. E o objetivo maior era cortar a cabeça (Sindicato) e oprimir o sonho de luta dos servidores.

Lançou-se uma central de boatos para dizer que o Sindicato tinha se vendido, que tinham perdido o prazo. Forçaram o servidor a assinar acordos individuais e descontaram salários inteiros daqueles que não abaixaram a guarda. Foi um terror psicológico instaurado que culminou no cancelamento da greve e no desânimo geral da categoria. Tanto que muitos falam até hoje que nunca mais farão outra greve. ( É justamente isso que o Patrão quer !!! ) Todos bem mansinhos.

Servidor público, essas linhas são poucas para expressar tudo que penso e sei a respeito dessa longa história de cinco anos. Mas quero deixar aqui explícito que todos nós fomos vítimas desse poderio de guerra disparado contra o funcionalismo. Tanto nós trabalhadores, quanto nosso Sindicato que lutou e luta bravamente contra poderosos que usam da truculência extrema para fazer valer as suas vontades.

A perseguição se deu em vários frentes. E uma delas foi criar uma fábrica de boatos para descredenciar nosso Sindicato, pois o prefeito sabia que legalmente precisaríamos da representação sindical para fazer valer nossos direitos no que tange a greve e suas reivindicações. Dessa forma jogou uns contra os outros e naquele momento aproveitou a fragilidade dos personagens envolvidos para deflagar o terror e as dúvidas sobre os nossos primordiais objetivos.

Naquela ocasião não pude e nem consegui contemplar a magnitude ardilosa montada. E então até mesmo colaborei para cobrar do Sindicato uma postura de respostas sobre o que havia acontecido para perdermos daquele jeito a greve. Hoje depois de maturar e juntar todas as peças, para mim ficou claro que o objetivo do atual governo era desarticular, desunir e causar pânico.

Desta forma venho aqui reparar uma postura errônea e dizer que nosso maior problema, nosso maior adversário é um patrão truculento, que não respeita a classe trabalhadora. O Sindicato esta vencendo e desenterrando todas as verdades. Fruto da luta incessante que desde 2011 vem sendo travada. E agora vamos começar a colher os frutos.

É importante salientar a postura guerreira do jurídico do Sindicato e da pessoa do Presidente que não deixaram de acreditar na reviravolta. Em detrimento disso é que devemos agora, nesse momento, estarmos unidos. Para sacramentar nossa vitória total sobre esse capítulo da história do servidor público. Sim, falo isso porque o patrão vai querer protelar, como sempre o fez. Vai querer abafar nossas vozes. Mas estamos muito mais maduros e aprendemos que a união faz a força.

Conclamo dessa forma que necessitamos nos unir. Entendo hoje que o Sindicato tem uma participação efetiva e prioritária no desfecho dessa questão e de outras questões. Como sempre, levantei  e levantarei a bandeira da categoria com muito orgulho. Hoje posso falar tranquilamente que precisamos uns dos outros para vencer e colher o fruto merecido. Que nossa categoria merece respeito e que podemos fazer história.

Vamos juntos lutar para que seja feita realmente a justiça !!! Nós servidores e o Sindicato !!! Queremos o que é nosso por direito e para isso vamos depender de estarmos unidos. E que todas as articulações que fizeram para tentarem nos derrubar só sirva para nos fortalecerem ainda mais.

Lembrem-se !!! Sou um apaixonado pela nossa família ocupacional. Tenham vocês também esse mesmo sentimento. E dessa forma poderemos conquistar grandes coisas para o funcionalismo público de nossa querida cidade.



Compartilhar Google Plus

Autor Roger Dance

Sou criativo, polêmico, autodidata por natureza e político por opção. Meus ideais de uma sociedade justa e igualitária estão no sangue. Sejam bem vindos a minha vida e ao mundo da informação dos bloggers.