Anúncio 680 x 110 px

Cidade de São Paulo fornece Atendimento Especial no Transporte para Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida


Exemplo de Mobilidade Urbana da Pessoa com Deficiência vem da cidade de São Paulo que fornece e disponibiliza um serviço especial de atendimento em transporte adaptado. O ATENDE, como é chamado, é um serviço gratuito oferecido pela Prefeitura através da SPTrans que visa o transporte da pessoa com deficiência física com alto grau de severidade e dependência.

O ATENDE é uma modalidade “Porta a Porta” que garante a locomoção de pessoas que necessitam, proporcionando acesso aos setores da sociedade como o trabalho, hospitais e consultas, educação, cultura, lazer, esportes e compromissos que fazem parte do dia a dia das pessoas, proporcionando uma mobilidade livre que garante a autonomia e independência de uma pessoa com mobilidade física reduzida aos lugares que precisa estar.
Sigam Portal MP no Twitter: @MPaulinia

O usuário faz sua inscrição no cadastro do programa ATENDE e passa a fazer parte de uma programação pré-agendada de viagens, tendo o direito de ser transportado aos locais que precisa com segurança, comodidade e praticidade. O serviço também fica disponível aos fins de semana, atendendo as necessidades e pedidos de transporte pelas instituições que trabalham com pessoas com deficiência. O atendimento é feito das 7h às 20h, de segunda feira a domingo.

O ATENDE foi criado por meio do decreto nº 36.071 de 09 de maio de 1996 e o serviço possui regulamento próprio, é gerenciado pela São Paulo Transporte S.A e é operado pelas empresas de transporte coletivo do município de São Paulo.

Este serviço é um modelo de inclusão efetivamente correto e prático para um município gerar a mobilidade e o transporte das pessoas com deficiência aos locais que necessita estar, pois reconhece que muitas pessoas com deficiência não apresentam condições físicas e que estão incapacitadas para utilizar o transporte público convencional, proporcionando, portanto, uma modalidade especial que é o “Porta a Porta”. Este atendimento é uma opção para gerar a inclusão nos setores sociais.

Aqui em nosso município de Paulínia SP, precisamos conscientizar as autoridades e responsáveis pela representatividade pública de que só atender pela frota de ônibus não adianta, pois estamos lidando de forma errada com a diversidade na mobilidade urbana, excluindo aqueles que não conseguem ir de transporte coletivo. Desta forma fica a dica para os Vereadores, Prefeito e Secretário de transporte público, para que repensem os valores na hora de considerar a inclusão das pessoas com deficiência nos setores sociais, dando oportunidade para ir ao trabalho e para a educação dentre outros compromissos que as pessoas possuem, ofertando acesso a todos os segmentos. Pois, pessoa com deficiência deve só estudar?

Não, ela precisa visitar outros locais que estão além das escolas. Por isso não adianta canalizar os usuários com deficiência somente nos ônibus, é importante uma forma de transporte “Porta a Porta” aqui em Paulínia também, dando a segurança e praticidade na locomoção desta parcela da sociedade que sofre com os prejuízos de uma inclusão atrasada e feita “nas coxas”. Vamos ofertar cidadania como fez a cidade de São Paulo?



Compartilhar Google Plus

Autor Daniel Pegoraro

Sou criativo, polêmico, autodidata por natureza e político por opção. Meus ideais de uma sociedade justa e igualitária estão no sangue. Sejam bem vindos a minha vida e ao mundo da informação dos bloggers.