Anúncio 680 x 110 px

Vacinação contra Pólio e Sarampo prossegue até 28 de setembro


Doses estão disponíveis em todas as UBSs, exceto na unidade João Aranha

A Campanha de Vacinação contra Poliomelite e Sarampo será extendida até o dia 28 de setembro. Com 89,81% de cobertura vacinal contra a Pólio e 88,66% contra o Sarampo, a Vigilância Epidemiológica (VE) de Paulínia pretende alcançar a meta de 95%, o que representa um total de 5.123 crianças de um a menos de cinco anos imunizadas contra as duas doenças.

A Campanha de Vacinação teve início em 4 de agosto e, até o momento, 4.601 crianças foram imunizadas contra a Polio e 4.542 contra o Sarampo. A VE alerta que a Campanha tem como objetivo de imunizar as crianças que ainda não tomaram a dose ou não obtiveram resposta imunológica satisfatória à vacinação, mantendo assim elevada cobertura vacinal e redução dos riscos de reintrodução destas enfermidades no país.

A vacina está disponível de segunda-feira à sexta-feira. Nas unidades Pq. da Represa, UBS Betel, UBS Cooperlotes e UBS Amélia o atendimento acontece das 8h às 16h30. Já nas UBSs São José, UBS Monte Alegre, UBS Centro e UBS Planalto, das 8h às 18h30. Para receber a dose, basta apresentar a carteirinha de vacinação ou documento de identificação.

PÓLIO
A imunização contra poliomielite, doença mais conhecida como paralisia infantil, é via oral (gotinha). De acordo com o Calendário de Vacinação Infantil, as doses devem ser recebidas aos dois, quatro, seis e 15 meses vida, além dos quatro anos de idade. No entanto, durante a campanha, todas as crianças da faixa etária de 1 a 4 anos, 11 meses e 29 dias serão contempladas com doses suplementares.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa, causada por um vírus. Ele acomete, em geral, os membros inferiores e tem como principais características a flacidez muscular, podendo levar à morte ou a sequelas paralíticas irreversíveis. Não há tratamento específico para a doença.

SARAMPO
O sarampo também é causado por vírus, transmitido de pessoa a pessoa por meio de secreções ao tossir, espirrar ou falar. Os sintomas são febre alta, erupções vermelhas na pele, coriza, tosse, olhos vermelhos e lacrimejantes, conjuntivite, pequenas manchas brancas no interior da bochecha e manchas vermelhas pelo restante do corpo. O vírus pode ainda causar lesões cerebrais e outras complicações que podem levar a óbito, uma vez que não há tratamento específico para a doença.
Compartilhar Google Plus

Autor Roger de Souza

Sou criativo, polêmico, autodidata por natureza e político por opção. Meus ideais de uma sociedade justa e igualitária estão no sangue. Sejam bem vindos a minha vida e ao mundo da informação dos bloggers.