Anúncio 680 x 110 px

#RABINO_SAMI - Subvenções (de novo), festa colorida e nada presta... será?


Esse texto retirado das redes sociais é uma excelente explanação sobre alguns assuntos políticos que vem ocorrendo na cidade de Paulínia. Recomendo a leitura do mesmo. O autor é Sami Goldstein e foi compartilhado no grupo de Debates do Movimento Paulínia através da Fan Page: Rabino Sami. Acompanhem logo abaixo então o texto e tirem suas próprias conclusões e reflexões. Boa leitura !!!

Sigam Movimento Paulínia no Twitter: @MPaulinia

Subvenções (de novo), festa colorida e nada presta... será?

Bom dia Paulínia. Uma breve leitura do Semanário e encontramos diversas contratações que vão desde terapias antineoplásicas (contra o câncer), ultrassonografias, transporte escolar e outros. Além disso, pregões para aquisição de material hospitalar e gêneros para alimentação escolar. Não, meus amigos, não se trata de caridade e sim de dever e responsabilidade. É papel do Administrador e para isso lá foi colocado pelo voto nas urnas! Isso não se discute.

Entretanto, debates são centrados em outros focos. Ou é um evento que não obteve autorização das autoridades ou voltamos à questão das subvenções. Esta última, por sinal, parece o "calcanhar de Aquiles", uma verdadeira questão de honra para a oposição à atual Administração. Pouco importa se há ou não uma expressa recomendação do Ministério Público para a adequação das verbas; pouco importa se o Tribunal de Contas, ao ditar as regras, deixa bem claro que nenhuma entidade pode ser dependente do Município; pouco importa se é o Administrador quem responderá juridicamente, lá na frente, pela manutenção de valores não aprovados por ele; pouco importa se as subvenções que têm como destino final o munícipe são convertidas em bolsas para o próprio munícipe... a questão é que as subvenções não estão sendo mantidas naquele mesmo patamar para aquelas mesmas entidades e ponto. Este é o foco dos debates e este é o cerne de toda a discussão!

Já falei antes e repito: durante dois meses, até o anúncio das bolsas por parte da PMP, não houve sequer um ato jurídico ou civil no sentido de realocar as atividades ou garantir as bolsas. Durante todo este tempo, a reivindicação pelas redes sociais foi uma só: queremos as "AS" subvenções.

Já em relação ao evento, o oportunismo é centrado em como a Prefeitura "não permite" o lazer dos jovens, Pois é... não me lembro de catracas abertas no SWU ou nos rodeios, a não ser no último dia. Não me lembro, inclusive, de alguma reforma no Ginásio João Aranha a não ser para uma convenção ou verbas para que as piscinas não chegassem ao estado em questão, alguém se lembra? A memória, além de curta, é extremamente seletiva. Mas, lendo aqui e ali, pude ver que 13 mil pessoas confirmaram o evento pelo Facebook. A PMP novamente é citada como a vilã.

Vejamos: segundo o site do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, no ano passado "O festival das cores (Holi) não acontecerá no Parque Ibirapuera, como vem sendo comentado na mídia. Apesar de entendermos a beleza do evento, e de fato a organização ter protocolado a solicitação para a Arena de Eventos, o conselho gestor do parque o vetou com recomendação da prefeitura. Acredita que o local não é adequado para espalharem toneladas de pó." Segundo a ata da decisão: "não incluiu a realização do evento “Holi – Festival das Cores”, por este não ser ambientalmente indicado.” Muita tinta e muita gente”. E o Parque vai além: "Se um dia acontecer no Ibirapuera, não deverá ser balada." Segue o link http://bit.ly/1wFXqPS

Não houve "auê" e ninguém "culpou" o Parque ou a Prefeitura de São Paulo pela decisão.

Para este ano, obteve a permissão. No entanto, "mas neste ano o ok veio após a adequação e apresentação oral da proposta enfatizando os cuidados ambientais e provando que o evento será uma celebração cultural harmoniosa, em menor escala, longe de uma “balada”." http://bit.ly/T1d4WB

Agora pergunto: se o Parque do Ibirapuera que é o Parque no Ibirapuera estava preocupado com a quantidade de pessoas, segundo suas próprias palavras, "para espalharem toneladas de pó", a Prefeitura de Paulínia deveria ter uma preocupação menor com o Zeca Malavazzi? E a preocupação com a segurança de 13 mil pessoas, praticamente 13% da população da cidade, num evento destes, deve ser de menor importância?

Resumindo: qualquer assunto é motivo para politicagem....



Compartilhar Google Plus

Autor Roger Dance

Sou criativo, polêmico, autodidata por natureza e político por opção. Meus ideais de uma sociedade justa e igualitária estão no sangue. Sejam bem vindos a minha vida e ao mundo da informação dos bloggers.